Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Na manhã desta segunda-feira (10), o Prefeito Elias Diniz concedeu coletiva de imprensa para atualizar a situação da barragem da Usina do Carioca. Apesar do alto risco verificado durante este domingo (9), a barragem, pelo menos até agora, não rompeu. No momento, ela está sendo monitorada pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Defesa Civil e uma equipe da Prefeitura.

O Prefeito explicou que o volume de chuvas que vem atingindo Pará de Minas e região nos últimos 10 dias é muito expressivo. “No sábado, tínhamos uma previsão de 70 mm de chuvas, mas tivemos o dobro. Isso atingiu não só o perímetro urbano, mas também os distritos e povoados”.

O distrito de Carioca, onde está localizada a usina hidrelétrica, foi um dos locais mais afetados, principalmente porque recebe água também das barragens de Benfica e dos Britos, localizadas em Itaúna. Com o aumento do volume de água, houve um transbordamento da represa e uma erosão na lateral. Já o duto principal fraturou.

Foto: Prefeitura Para de Minas

Vamos fazer uma análise técnica agora pela manhã, junto com a empresa responsável, a Santanense, pois não é possível fazer uma análise visual. Pretendemos fazer também um sobrevoo, para monitorar as laterais da barragem e verificar se elas estão firmes”, disse Elias Diniz.

Assim como no caso de barragens rejeitos de minérios, as barragens de usinas hidrelétricas também necessitam de um plano de segurança, apresentado pela empresa responsável. Segundo o Prefeito, a empresa Santanense apresentou o plano ao Corpo de Bombeiros dentro das conformidades, inclusive o mapa com a mancha de inundação em caso de rompimento. Partindo da análise do mapa, as famílias sob risco foram retiradas, restando apenas duas que não puderam ser sair durante a madrugada por estarem ilhadas.

As famílias que tiveram de sair de suas casas têm à disposição um ponto de acolhimento em Carioca, localizado no salão da Igreja Nossa Senhora da Piedade, onde a Prefeitura está fornecendo alimentação, colchões e roupas. Outras famílias optaram por ir para casas de parentes. Além disso, foi montado um posto de suporte na Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito, onde Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Defesa Civil estão trabalhando.

Elias Diniz ressaltou que tanto a área urbana de Pará de Minas quanto o distrito de Carioca estão fora de risco em caso de rompimento da barragem. Mas chamou a atenção das pessoas que vivem às margens do Rio São João e do Ribeirão Paciência, pois um rompimento elevaria o nível deles e, portanto, essas pessoas também devem deixar suas residências.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook