Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Nesta segunda (12), onde foi comemorado o dia das crianças, o clima no cenário político ficou tenso. Em uma troca de farpas, Fernando Haddad foi em seu Twitter e tentou atacar o Senado Romário (PL), por fazer parte da base do Governo Bolsonaro, na tentativa de buscar alianças para o suposto pleito eleitoral de 2022 com o PT, Haddad teceu críticas ao Senador, por apoiar segundo ele, um governo que vem atrapalhando as políticas públicas que antes foram construídas para beneficiar a inclusão de alunos com deficiência nas escola públicas do Brasil. “Quando eu era ministro, lançamos um programa de inclusão de crianças com deficiência. O “BPC na Escola” beneficiou 400 mil crianças. É duro ver o pai de uma delas apoiar um governo que acha que essas crianças atrapalham. Feliz dia de todas as crianças!” Ironizou Haddad, tentando alfinetar o Senador, que em sua real intenção, é trazer o PL para uma suposta aliança política.

Já o Senador Romário não deixou barato o comentário ironizado por parte de Haddad, relembrando o maior momento de escândalos envolvendo corrupção no Brasil durante o governo do PT, deixando claro a sua aliança e fidelidade ao Governo Bolsonaro, quando se refere que o atual momento do Brasil vem sendo melhor no cenário político, sem o mar de lama que antes se encontrava. O Senador usou sua conta no Twitter nesta terça (13),  pela manhã e respondeu de forma educada a Fernando Haddad, indiretamente atacando o PT, que governou o Brasil durante o período em que Haddad foi Ministro, “Sr. Haddad, sou muito grato pelo BPC na Escola, que beneficiou 400 mil crianças. Agradeço como pai de uma adolescente com Síndrome de Down e senador. Mas isso não me impede de dizer que o país estava assolado pela corrupção e que, agora, está melhor em relação a isso.” Disse o Senador Romário.

Haddad é filiado ao PT (Partido dos Trabalhadores), e vem articulando dentro e fora do partido, atuando como uma espécie de agente eleitoral do PT para ajudar Lula, que vem sendo o favorito dos petistas para enfrentar Bolsonaro (sem partido) no pleito eleitoral de 2022, o mesmo vem sendo cogitado por parte de integrantes do partido dos trabalhadores para uma suposta candidatura a vice-presidente na briga com Guilherme Boulos (PSOL) que também é favorito da maioria dos partidos de esquerda para ser o vice de Lula.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook