Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

A semana que antecede o período de restrições no Rio de Janeiro foi marcada por importante participação da Alerj na tomada de decisões que podem ditar o destino da pandemia no estado.
Favoráveis às iniciativas municipais das cidades do Rio de Janeiro e de Niterói – de decretar o recesso de 10 dias, antecipando feriados e aplicando restrições impopulares, mas necessárias para evitar aglomerações visando conter o avanço de contágio por Covid-19, os deputados estaduais aprovaram o PL 3906/21.

Wellington José foi um dos defensores da medida, mesmo ciente dos impactos que a mesma ocasionará para os trabalhadores, sobretudo os informais e autônomos.

“Não há restabelecimento da economia sem vidas que possam trabalhar para isso. As restrições são dolorosas, mas necessárias, nesse momento. Ontem (25/3) o País chegou à marca de 300 mil mortes. Nos últimos dias, perdemos mais de duas mil e quinhentas vidas/dia, em média, para essa doença. Foi preciso essa medida extrema para que possamos preservar vidas e para que se evite um lockdown ainda maior, muito em breve” ponderou o deputado estadual, que defende, ainda, que o fechamento das atividades e dos serviços no estado são necessários, mas não suficientes. Para Wellington José, essa é uma das medidas, mas que precisa ser associada a outras para surtir o efeito desejado:

“É inegável que precisamos avançar com a vacinação e garantir que o nosso Sistema Único de Saúde continue acolhendo quem precisa, com a abertura de leitos, inclusive aqueles oriundos de hospitais federais” acrescenta.

Com o PL aprovado, os dias 26 e 31 de março, além de 1º de abril, foram decretados excepcionalmente feriados, com restrições mais severas para conter a circulação e a aglomeração de pessoas no estado.

“E não se trata de um super feriado, como alguns denominaram. Serão 10 dias de luto, de reflexão e de reclusão para que essa pandemia pare de crescer no Rio de Janeiro” pontuou Wellington José, apelando para a conscientização da população e adesão coletiva às novas medidas.

Outros PLs relevantes e aprovados nessa semana foram os de número 1363-A/19, dos deputados Lucinha e Renan Ferreirinha (que institui o selo Escola Amiga da Saúde Mental) e o de número 3735/21, de autoria de Flávio Serafini (que cria a Campanha Estadual de Prevenção e Combate ao Novo Coronavírus em instituições públicas e privadas de ensino da Educação Básica), entre outros.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook